Angra dos Reis, 02 de fevereiro de 2021

Igreja Matriz São Sebastião, Vila do Abraão – Ilha Grande.

Celebramos nesta terça-feira a festa da Apresentação do Senhor. A liturgia nos recorda neste dia tão especial o Menino Jesus sendo levado ao templo e apresentado por Maria e José, cumprindo a lei que diz:

“Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor.”

Lc 2, 23

O evangelho ainda nos relata que no templo havia um homem chamado Simeão, o qual era justo, piedoso e o Espírito Santo estava com ele. A ele foi anunciado que não morreria antes de ver o Messias que vem do Senhor. Quando os pais de Jesus o levaram ao templo para o cumprimento da Lei, Simeão tomou o menino em seus braços e bendisse a Deus

“Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz; porque meus olhos viram a tua salvação,  que preparaste diante de todos os povos:  luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel.”

Lc 2,29-32

Posto como sinal de contradição, o menino haveria de provocar divisão a seu respeito: enquanto seria reconhecido e acolhido por uns, tornar-se-ia motivo de escândalo e ódio para outros. Seria impossível manter-se neutro diante dele, pois sua presença revelaria os pensamentos escondidos no íntimo dos corações.

Dia da Vida Consagrada

Em sua homilia na Igreja Matriz, Frei Anchieta destacou o dia da vida consagrada através dos conselhos evangélicos: Obediência, Pobreza e Castidade. Iniciando sua colocação, recordou aos fiéis presentes que todos, através do Batismo, são consagrados a Deus e devem viver de tal modo a consagração com dedicação e zelo.

Assim como o menino Jesus foi levado ao templo para a consagração, todos nós, um dia fomos levados ao Templo Santo para nos consagrar através do sacramento do Batismo.

Deus habita em nós

Através do Batismo nos tornamos templos vivos de Deus e devemos ter a consciência de que o próprio Senhor habita nesse templo. Muitos cristãos perderam essa consciência e vivem de modo desregrado, seguindo o mundo paganizado e não mais o caminho de Deus.

O chamado particular

No meio da Santa Igreja, homens e mulheres são retirados do povo e escolhidos por Deus para fazerem uma escolha radical em suas vidas, consagrando-se pelos de votos de obediência, pobreza e castidade, seguindo assim os conselhos evangélicos.

Os religiosos consagram-se inteiramente a Deus e buscam servi-lo de coração desejando a cada dia serem santos. Portanto, o consagrado é aquele que é chamado a santidade e deve levar a luz de Cristo ao mundo envolto em trevas.

Através dos conselhos evangélicos os religiosos tornam-se um sinal para o mundo e como descrito no evangelho

“esse Menino será um sinal de contradição”.

O consagrado torna-se um sinal de contradição

Para um mundo que valoriza as riquezas e onde a ganância move os corações, os religiosos são chamados a fazerem um voto de pobreza, tendo como única riqueza o próprio Deus. Ainda em sua homilia, Frei Anchieta chamou a atenção que a pobreza não está ligada a miséria como muitos pensam, mas em ter uma vida simples e desprendida dos bens terrenos. As misérias sociais são provocadas pela desonestidade, corrupção, desigualdades e maldades daqueles que deveriam zelar pelo povo. Tudo que um religioso tem é da comunidade e pelo bem comum de todos, nada lhe pertence. Todavia o consagrado possui a alegria de ser desapegado dos bens possuindo somente a Deus, como dizia São Francisco “meu Tudo e meu Deus”.

A Obediência marca o segundo voto seguindo os conselhos evangélicos. Jesus se encarnou e mesmo sendo Deus foi obediente até a morte e morte de cruz. O Messias mesmo disse que veio para fazer não a sua vontade, mas a vontade do Pai. Como nos relata o evangelho, Jesus obedecia a Deus Pai mas também obedecia a Maria sua mãe e a José seu pai. Como consagrados queremos mostrar para o mundo que é possível e preciso a obediência a Deus. Através da obediência somos verdadeiramente livres e felizes. Este é sem dúvidas mais um sinal de contradição para o mundo que prega a libertinagem e a desobediência, onde todos podem fazer tudo sem limites, buscando apenas saciar seus prazeres pessoais.

Todos os batizados são chamados a obediência a Deus, realizando a Sua vontade em nossas vidas, mostrando para o mundo que somos libertos e felizes obedecendo a Deus pois o pecado torna a pessoa escrava e infeliz. Portando, na pobreza encontramos o desapego e na obediência a liberdade de filhos de Deus.

Por fim, a castidade é o terceiro voto observado pelos conselhos evangélicos. Frei Anchieta recordava que na missa do último domingo, Paulo na segunda leitura nos apresentava que o casado cuida das coisas do mundo, preocupando-se em agradar sua mulher e a mulher casada preocupa-se com as coisas do mundo procurando agradar seu esposo. Isso é normal e agradável aos olhos de Deus, pois para que um casamento seja feliz é necessário a preocupação um com o outro, visto que pelo sacramento homem e mulher se tornam somente um.

São Paulo em sua carta pede que todos optem por ser de Deus, dedicando toda a sua vida ao Senhor na pureza e castidade. O religioso consagra-se para viver na pureza e totalmente de Deus para servir ao Senhor e a sua Igreja, vivendo na disponibilidade para fazer a Sua vontade.

Hoje então a Igreja recorda esses consagrados e consagradas que entregaram sua vida à Deus e à Igreja, querendo ser sinal para o mundo.

Enfim, o superior do Instituto dos Frades de Emaús, terminou sua homilia pedindo para que todos rezem pelos frades e freiras, em particular, pelos frades de Emaús e que Deus envie santas e abundantes vocações aos Institutos religiosos.

Abraão, 02 de fevereiro de 2021

Festa da Apresentação do Senhor.